Digite a palavra-chave

Fundação Stickel apoia jovens mães da Vila Brasilândia/SP

Projeto visa à geração de renda e à vivência plena da maternidade

Agravidez na adolescência continua a ser algo recorrente e constitui-se um dos principais problemas sociais e de saúde pública no Brasil. O índice de gravidez na adolescência no país gira em torno de 7,3%. Na comunidade da Vila Brasilândia, situada na zona norte de São Paulo, essa taxa é ainda mais expressiva: 8,57% entre jovens de 14 a 17 anos. A localidade destaca-se também por registrar um dos piores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do Estado e por possuir a maior taxa de vulnerabilidade de São Paulo.
Em atividade há mais de 50 anos, a Fundação Stickel desenvolve diversos programas junto a essa população, que têm como objetivos centrais a geração de renda e, consequentemente, a construção de uma nova realidade social. Entre os projetos promovidos destaca-se o “Mãe Adolescente” que visa a proporcionar às jovens que vivem a experiência da maternidade precoce informações e cursos que possam auxiliá-las a terem uma melhor relação com seus filhos e com elas mesmas.
O programa também oferece a futuras mamães a possibilidade de aprenderem ofícios que possam ser feitos em casa (biscuit, artesanato, tricô etc.) e que contribuam com o orçamento familiar. Neste mês de maio, a Fundação inicia, por meio de convênio, o programa Mãe Adolescente dentro das Unidades Básicas de Saúde (UBS) da Vila Brasilândia. Essa experiência visa a criar uma maior proximidade com as jovens da comunidade, integrando os cuidados com a saúde da gestante (pré-natal), o acompanhamento do bebê após o nascimento e ações voltadas à vivência da maternidade.
A programação para o mês das Mães incluem atividades lúdicas como dança, workshop de desenvolvimento pessoal, de estímulo à criatividade e habilidades pessoais, oficinas de biscuit, de como fazer horta em casa, entre outras atividades. Para a superintendente da Fundação, Mônica Picavea, o investimento em programas destinados a esse público específico é de grande relevância. “É necessário preparar essas jovens para esse momento tão especial que é a maternidade. No caso delas, a gravidez ocorre num contexto inesperado e elas precisam estar estruturadas emocionalmente para receber o bebê. Se elas sentem-se sem perspectivas, como vão conseguir projetar um futuro feliz e promissor para seus filhos?”, questiona. “O aprendizado de um ofício é também de suma importância para dar um respaldo financeiro que, muitas vezes, elas não têm”, acrescenta.
Originada em 1954, por conta da atuação social e assistencial do casal Martha e Erico Stickel, a Fundação Stickel teve como proposta inicial atender crianças carentes afetadas pela tuberculose. Posteriormente, a vocação da entidade foi revista e focada no fomento à arte contemporânea brasileira e no desenvolvimento de comunidades com altos índices de vulnerabilidade social. Atualmente, a Fundação realiza diversas ações voltadas à promoção de trabalhos de artistas em ascensão no campo da fotografia, gravuras e outras artes, que, em contrapartida, disponibilizam seus conhecimentos aos jovens da Brasilândia, ministrando oficinas e workshops em parceria com a Fundação.
A instituição investe ainda em programas voltados à geração de renda para a comunidade da Vila Brasilândia, como o “Jovens de Talento” e “Mulheres de Talento”, possibilitando aos assistidos pelos projetos oportunidades de inserção social pelo trabalho e pelo acesso à cultura.

Link da Publicação: http://www.pautasocial.com.br/pauta.asp?idPauta=30610