Digite a palavra-chave

A FUNDAÇÃO

Somos uma instituição sem fins lucrativos que acredita na arte como meio de transformação e desenvolvimento de pessoas e comunidades. Oferecemos cursos, oficinas e workshops gratuitos na cidade de São Paulo, e em paralelo impulsionamos o trabalho de artistas paulistanos, por meio da organização de exposições, instalações, e publicação de livros e catálogos de arte.

Missão
Transformar jovens e adultos por meio das artes visuais, despertando novos potenciais.

Visão
Fazer das artes visuais um instrumento de inclusão sociocultural na sociedade brasileira.

Valores
Desenvolvimento Humano
Inclusão Social
Respeito aos seres humanos e seus processos de desenvolvimento
Importância civilizatória da estética e da arte
Transparência
Ética e Cidadania
Sustentabilidade
Excelência organizacional

fotos familia stickel certo2

FASE CARITATIVA HISTÓRICA

A Fundação Stickel foi instituída em São Paulo em 31 de Dezembro de 1954, pelo casal Martha Diederichsen Stickel e Erico João Siriuba Stickel. No entanto, a história da instituição tem início com a chegada do industrial e empresário Ernesto Diederichsen sua mulher Maria Elisa Arens Diederichsen (Lili) à cidade serrana de Campos do Jordão SP em 1936, quando adquirem grandes áreas de terra.

Na sequência o casal inicia a construção da residência de veraneio da família, concluida em 1941. Em seguida, associados a Luiz Dumont Villares, empreendem a construção do Hotel Toriba, inaugurado em 1943.

Sensibilizados pela pobreza e pelas más condições de saúde em que viviam moradores e ocupantes dos sanatórios da cidade Ernesto e Lili iniciam um trabalho de assistência social e criam em 1946 o Grêmio Bernardo Diederichsen, com gestão do Reverendo Oswaldo Alves, que se destinou a atender as famílias e crianças carentes que ali se instalavam, geralmente em favelas e moradias precárias, para acompanhar o tratamento de tuberculose de seus parentes internados. Este atendimento incluía distribuição de remédios, alimentos, agasalhos e tratamento médico.

Após o falecimento de Ernesto, em 1949, as obras assistenciais foram assumidas por sua filha Martha Diederichsen Stickel e seu marido Erico João Siriuba Stickel. Na sequência é criada em 1951 a Associação Beneficente Martha e Erico Stickel, que se transformou em 1954 na Fundação Beneficente Martha e Erico Stickel.

Em imóvel próprio situado no bairro de Abernéssia, a Fundação se organizou para suprir as carências mais imediatas da população desprotegida, principalmente crianças, prestando um serviço assistencial completo e gratuito, com consultório médico e dentário, raios-X e ambulância.

Os trabalhos sociais reduziram-se a partir de meados dos anos 70, encerrando-se definitivamente em 1980, iniciando-se então um período de inatividade.

FASE OPERATIVA

Em 2004 um dos filhos dos instituidores, Fernando Stickel arquiteto formado pela FAU-USP, artista plástico e fotógrafo, com longa militância no universo das artes e cultura, assumiu a responsabilidade de reativar as atividades da Fundação, agora voltadas para a arte e a cultura.

A missão da Fundação, desde então, passou a ser a de agregar sua atuação na arte brasileira e contemporânea ao trabalho em comunidades com altos índices de vulnerabilidade social. Atuando na capital paulista, teve sua razão social reduzida para Fundação Stickel, passando a promover atividades culturais diversas, como exposições, edição e distribuição gratuita de livros, programas educativos e de pesquisa, e um acervo de obras de arte.

Vale ressaltar que a cultura e a arte já estavam no DNA da família, uma vez que Erico Stickel, colecionador de arte, bibliófilo e estudioso da arte brasileira do século XIX, contribuiu significativamente para a história da arte no Brasil, reunindo um dos mais interessantes acervos sobre o assunto, experiência relatada no livro “Uma pequena biblioteca particular – Subsídios para o estudo da iconografia no Brasil” (Edusp, 2004).

Em 2007, nasceu o primeiro programa social próprio, “Mulheres de Talento”, cujo principal objetivo era a geração de renda para mulheres da Vila Brasilândia, distrito da zona norte de São Paulo. Entre 2008 e 2009, a Fundação desenvolveu o Programa Ação Família – Viver em Comunidade, em parceria com a Prefeitura de São Paulo, que resultou em um rico processo de construção e aprendizagem. Em 2010, a instituição consolidou sua atuação na Vila Brasilândia, região que se destaca por registrar um dos piores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do Estado, a fim de colaborar para o desenvolvimento da região por meio de ações nos eixos econômico (geração de renda), social, educacional e cultural.

Esta mudança possibilitou um conhecimento mais profundo do contexto em que as ações são realizadas, concentrando os investimentos, ampliando o potencial de impacto das obras e propiciando um monitoramento mais efetivo dos resultados obtidos.

Em 2011, com o apoio do IDIS – Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social, a Fundação promoveu um Realinhamento Estratégico, evoluindo em aspectos reconhecidos como essenciais às modernas instituições do Terceiro Setor, com destaque para a governança, posicionamento estratégico e missão.

FASE ESTRATÉGICA

Em 2012 Fernando Stickel inicia sua gestão como Diretor Presidente. É adotado o lema ARTE TRANSFORMA, incluido em sua logomarca, é criado o Conselho Fiscal e o Estatuto e o Regimento Interno são alterados para refletir esta nova fase.

A Fundação passa a focar sua atuação em cursos que levem o impacto das artes visuais à periferia de São Paulo, bem como nos “Projeto Contrapartida”, que beneficiam simultaneamente artistas visuais atuantes em São Paulo.

Em 2013 é realizado pelo IDIS Estudo de Viabilidade para Captação de Recursos, com foco no Projeto Contrapartida.

Em 2014, ao completar 60 anos de idade, a Fundação associa-se ao GIFE.

Em 2017 Fernando Stickel participa do VI Fórum Brasileiro de Filantropos e Investidores Sociais como anfitrião de uma mesa sobre o tema “Arte e Transformação Social”, na experiência da Fundação Stickel. Convidada pela “Semana de Arte”, a Fundação expõe os trabalhos de seus alunos de fotografia no Hotel Unique em São Paulo, vendendo-os pela primeira vez.

Em 2018 é realizado Planejamento Estratégico pela Dearo Marketing Social, do que resulta a atualização de sua missão, que passa a ter a seguinte redação:

“Transformar jovens e adultos por meio das artes visuais, despertando novos potenciais.”

É dado início à criação de um departamento interno de Captação de Recursos.

Em 2019, ano em que a Fundação Stickel completa 65 anos de idade, é inaugurada a Pharmacia Cultural – um espaço de exposições e onde também serão realizados cursos e atividades culturais.

Conselho Curador
Alexandre Dórea Ribeiro
Arnaldo Halpern
Marcia Kalvon Woods
Martha Diederichsen Stickel
Sandra Pierzchalski

Conselho Fiscal
Rosangela dos Santos
Vitor James Urner

Membros Honorários Perpétuos
Arthur Stickel
Erna Hedwig Stickel
Ernesto Diederichsen
Franz Emil Engelbert Mülller
Luiz Dumont Villares
Maria Elisa Arens Diederichsen

Presidentes Honorários Perpétuos
Erico João Siriuba Stickel
Martha Diederichsen Stickel


Equipe Executiva

Fernando Stickel

Fernando Stickel

Diretor Presidente

Miriam Miranda Costa

Miriam Miranda Costa

Gerente Administrativo Financeiro

Igor Leme Damianof

Igor Leme Damianof

Assistente Administrativo