Digite a palavra-chave

Eventos

Carla Fatio com a Fundação Stickel na Bienal de Arte Contemporânea da China

Carla Francisca Fatio (Carla Fatio)
Brasil, São Paulo, 1962, dupla nacionalidade: brasileira-suiça

A artista plástica Carla Fatio participou da “The 4th International Art Biennale” conhecida como “BIAB”, na China (Set/Outubro de 2010). O evento foi apoiado pelo Governo de Pequim e pela Associação de Artistas Chineses, e a participação de Carla teve apoio, no Brasil, da Fundação Stickel. Durante o período de visitação, a Bienal recebeu 600.000 visitantes ao espaço que compreendia, além dos artistas estrangeiros selecionados, a nata da arte contemporânea da China.

Carla expôs a “Série Entre Entes e Sementes”, e a obra “Água 1” (Water1) foi doada ao Governo de Pequim.

A possibilidade de expor em nível internacional abre caminhos para a arte brasileira contemporânea, e a espontaneidade das relações afetivas se confirma em tratos pessoais e profissionais pela busca de pesquisas e qualidade artística. Hoje, há um grupo de artistas formado a partir do facebook com este propósito de intercâmbio.

Segundo a artista plástica, “toda a divulgação de seu trabalho na China, mesmo nos sites de relacionamento e em seu blog, estão atrelados à parceria com a Fundação Stickel”.
Carla acredita que abriu portas na Ásia tendo a Fundação Stickel como sua incentivadora. Várias entrevistas foram concedidas, inclusive à TV. Não tivemos acesso ainda a todo o material, que está em mandarim; mas, o mesmo foi solicitado recentemente.

Carla, por ter um propósito de responsabilidade sócio-ambiental, foi convidada a escrever um texto com 3000 palavras para ser enviado ao Comitê de Artistas Chineses para futura publicação, como parte integrante da BIAB; pois, a temática desta Bienal foi a “Coexistência humana e o Meio Ambiente”. Este trabalho está em andamento.
A participação de Carla tem caráter continental. Assim como Carla Fatio, diversos artistas latino-americanos se apresentaram. No Brasil, apenas 2 artistas foram selecionados e Carla foi a única artista brasileira presente na abertura da Bienal.

Além de exercer este papel, Carla também compôs juntamente com os artistas latinos, uma carta aberta para AIAP–UNESCO em prol da regulamentação da profissão dos artistas plásticos. No Brasil, Carla faz parte do SINAPESP-AIAP-UNESCO (Sindicato dos Artistas Plásticos no Estado de São Paulo) e, no período da exposição, houve um grande encontro do Comitê AIAP-UNESCO em Pequim onde várias decisões mundiais foram acertadas.

No biênio 2001-2 Carla foi a vencedora mundial do premio ISO Meio Ambiente Mundial, patrocinado pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) e ISO Genebra, Suíça. Esta competição rendeu o título mundial pela primeira vez ao Brasil, e uma divulgação de sua obra em forma de “cartazetes” entre 137 países.

A artista já está envolvida em propostas para Europa em 2012. E acredita que plantar sementes é fundamental em todo este processo cultural e artístico. Lembrando que em 2007, Carla fez (voluntariamente) uma palestra no Hospital das Clinicas sobre Arte-Terapia em áreas de vulnerabilidade social, em nome da Fundação Stickel.
Novos resultados serão gerados por meio desta parceria. Um deles é objetivar uma proposta de trabalho em conjunto na Brasilândia; Carla está sempre aberta a novos desafios.